Anúncios
DicasNews

Viaje pelos recifes de corais da Flórida


O mais extenso recife vivo dos Estados Unidos fica ao lado da cadeia de ilhas das Florida Keys. Florida Reef Tract possui formações de corais bastante similar àquelas encontradas nas Bahamas e no mar do Caribe…


 

Florida location map

Viajar pela costa da Flórida por si só representa uma maravilha. Deparar-se com os recifes de corais que ornamentam as águas próximas à orla é um sonho. Este é o único estado continental dos Estados Unidos a ter uma extensa cadeia de formações de recifes de corais em profundidade perto de sua costa. Estes recifes estendem-se de St. Lucie Inlet, no condado de Martin, até Dry Tortugas no Golfo do México. O mais prolífico desenvolvimento de corais ocorre no litoral das Florida Keys. O mais extenso recife vivo dos Estados Unidos fica ao lado da cadeia de ilhas das Florida Keys. Florida Reef Tract possui formações de corais bastante similar àquelas encontradas nas Bahamas e no mar do Caribe. Florida Reef Tract tem quase 360 milhas de extensão e é a terceira maior barreira de ecossistema de corais do mundo.

snorkeling

Praticamente toda esta área está dentro das fronteiras do Florida Keys National Marine Sanctuary. As 2.800 milhas quadradas náuticas do Florida Keys National Marine Sanctuary (FKNMS), constituído em 1992, cercam todo o arquipélago das Florida Keys e incluem Florida Bay, Golfo do México e Oceano Atlântico. Comunidades intermitentes e menos diversificadas biologicamente de comunidades de recifes de corais continuam em direção ao norte junto às praias do lado oeste da Flórida até Florida Middle Grounds, uma série de elevações submersas que despontam dentro de 30 a 40 metors da superfície, e estão a cerca de 100 milhas a noroeste de St. Petersburg.

fl coast

Além dos moradores locais, milhões de veranistas vêm para a Flórida a fim de desfrutar de mergulho, snorkeling e pesca nos recifes de corais do sul da Flórida. Estas atividades fornecem uma grande fonte de receita para a Flórida e suas comunidades costeiras. Estima-se que as atividades relacionadas aos recifes de corais nos condados de Martin, Palm Beach, Broward e Miami-Dade gerem US$3.4 bilhões em vendas em geral e garantem 36.000 empregos na região a cada ano.

John_Pennekamp_Coral_Reef_State_Park_-_panoramio

Os recifes de corais podem ser reconhecidos graças ao colorido que formam nas águas tropicais em todo mundo, mas na verdade são feitos de micro-organismos chamados pólipos. Os pólipos têm os corpos moles, porém provocam secreções de esqueletos de calcário para suporte. Os famosos recifes são formados quando muitos pólipos se juntam e grudam um no outro. O resultado é uma colônia de pólipos que na verdade atuam como um só organismo.

Elkhorn_Coral_Biscayne_NP1

As tonalidades coloridas vêm de uma alga chamada zooxanthellae (pólipos na verdade são transparentes). Os pólipos e zooxanthellae têm uma relação simbiótica, na qual obtém comida da alga em troca de lar e proteção da estrutura mais dura. Quando poluição ou altas temperaturas provocam stress, eles expulsam a zooxanthella. Isto é chamado de branqueamento de coral e pode, na verdade, matá-lo se durar muito tempo.

Dry_Tortugas_Lighthouse_2005

Os esqueletos duros de carbonato de cálcio contêm bandas, como três anéis, que gravam mudanças ambientais na temperatura, química da água e claridade da água. Estas gravações ajudam os cientistas a reconstruir como eram as eras passadas antes dos humanos manter seus dados!

Biscayne_National

Recifes de corais são chamados de “florestas tropicais marinhas”. Eles ocupam apenas cerca de 1% do fundo do oceano, mas hospedam cerca de 25% do todas espécies que habitam o oceano. Fornecem habitat complexo tridimensional para uma enorme variedade de plantas e animais (grandes e pequenos), e protegem várias espécies de peixes jovens enquanto estão em crescimento.

fl beaches

 

Também atuam como um tipo de “quebra-molas do oceano”. Sua estrutura auxilia no amortecimento e redução das ondas quando elas arrebentam nas praias, ajudando a proteger os litorais dos furacões, ciclones e tsunamis. Protegem as orlas de 81 países em todo mundo, abrigando 200 milhões de pessoas que vivem ao longo destas costas.

divers-scuba-reef-underwater-37542.jpeg

Photo by Pixabay on Pexels.com

 

Infelizmente, fatores estressantes como mudança climática, acidez oceânica, doenças,pesca indiscriminada, sedimentação e poluição têm degradado recifes em todo mundo. Alguns estão em vias de extinção: elkhorn (Acropora palmata) e staghorn (Acropora cervicornis), duas espécies de recifes de corais, declinaram entre 92 e 97% desde os anos 70. Acima de tudo, o oceano está se tornando mais ácido devido ao aumento de dióxido de carbono, dificultando a construção da estrutura física do recife. Em contrapartida, ambientalistas estão trabalhando duro para tentar recuperá-los com viveiros de recifes de corais a fim de garantir que eles permaneçam intactos para as gerações vindouras.

Enquanto isto, nossa geração atual deve mesmo desfrutar dessa preciosidade da natureza. E a costa da Flórida é o local ideal para admirar os lindos recifes de corais.

 

Especializados em serviços de concierge e administração de imóveis em Miami, Flórida, Estados Unidos.brunch (1)Mais uma das #dicasdotozzi

Anúncios
Sobre Tozzi (115 artigos)
A class of 1979 graduate from FAAP with over 30 years’ experience, he has also worked for 5 years for Grupo O Estado de S.Paulo/Jornal da Tarde, all the while also freelancing for publications such as Exame, and magazines such as Grupo Ideia, editora da IstoÉ, e Química e Derivados, da editora QD. In the media relations world, he worked for Burson Marsteller in São Paulo, one of the sector's most highly regarded companies wherein he held the title of Gerente de Imprensa and fulfilled the job function of coordinating the activities of his fellow colleagues. In the United States, he has become known as one of the nation’s top Portuguese-speaking journalists having in his curriculum the experience of being editor-in-chief of such publications such as Florida Review in Miami and AcheiUSA in Broward. Furthermore, in South Florida, he collaborated on the journal, O Estado de S.Paulo, with the radio station CBN, and was editor of Sony magazine’s Portuguese branch. His work in television includes CBS Telenotícias, which provided Brazil with journalistic information and PSN, a sports station, wherein he produced the tennis broadcasts. Finally, he also worked for RIT TV as a director of journalism. He worked as a color commentator for NBA games, which are broadcast live to Brazil via TNT (Canal Space Brasil) and also a weekly contributor to the website Direto da Redação. He is a translator who counts on a client base which includes the likes of Motorola, Wacom, and ViewSonic among others.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: